Por Onde Começar

Como iniciamos o processo de retê-lo como nosso advogado?

Iniciando o processo é simples. Você só tem que fazer um telefonema. Nós regularmente damos respostas longas, detalhadas e necessárias para quaisquer perguntas feitas via telefone, e-mail ou Skype. Queremos não apenas fornecer o quadro jurídico para barriga-de-aluguel, mas também preencher lacunas eventuais que possam existir sobre a forma de como o processo é administrado. Assim, o inicio e você entrar em contato conosco e nos fazendo as perguntas mais importantes para você.

Quando devemos iniciar o processo legal?

É imperativo haver um acordo, para que cada um saiba o que é esperado de todos as partes. Normalmente, nossa discussão é mais informal no início. Só damos inicio à papelada legal quando o médico está pronto para iniciar o ciclo. Colocamos a caneta no papel uma vez que temos uma ideia de quando o tratamento será iniciado. O médico também quer garantias de que todas as exigências legais são cumpridas antes de iniciar o ciclo. Por outro lado não vamos começar a elaborar um contrato de barriga-de-aluguel antes das partes passarem por um exame médico e psicológico, nem um contrato de doadora de óvulos antes da doadora passar pela triagem médica e psicológica. Começar cedo é desperdiçar o tempo de todos.

Devo encontrar uma agência e / ou uma barriga-de-aluguel antes de encontrar um advogado?

É uma proposta 50/50. Muitos clientes me chamam antes mesmo de saberem que terão uma agência ou terem visto um médico. A outra metade já encontrou uma agência e / ou já foram tratados no passado por um especialista em fertilidade. Não existe um padrão conjunto sobre quando as pessoas chamam de nosso escritório. Eu acho que todos podemos concordar que o especialista em fertilidade e o mais indicado para fornecer a direção e o que você precisa para prosseguir.

Qual é a diferença entre a barriga-de-aluguel tradicional e barriga-de-aluguel gestacional?

Clinicamente, a diferença é de onde vem o óvulo. Com uma barriga-de-aluguel tradicional, a substituta é também a doadora de óvulo. Com uma barriga-de-aluguel gestacional, a substituta não contribui seus óvulos. A implicação legal pode variar de estado para estado. De modo mais geral, no caso da substituta tradicional ela é contribuinte genética para a criança. Sendo assim, ela pode mudar de ideia e não entregar a criança, desde que o faça dentro de um período de tempo finito a partir do nascimento.